Total de visualizações de página

SEGUIDORES. PARTICIPE TAMBÉM! EM BREVE VOU VISITAR O SEU BLOG. DEUS TE ABENÇOE!

Pesquise aqui

domingo, 21 de junho de 2009

JOSÉ - UM HOMEM CORRETO

Linda história.
José foi um grande homem e nos deu um exemplo: não devemos fazer o que momentaneamente é mais fácil, mas devemos em qualquer situação fazer o que é correto.






AGUARDEM... SUGESTÕES PARA ESCOLA BÍBLICA DE FÉRIAS.

Olá pessoal,
Estou preparando algumas sugestões para Escola Bíblica de Férias. Não conclui neste fim de semana porque estou estudando e corrigindo provas...
AGUARDEM...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

PAULO - UM HOMEM DE AÇO

Esta foi uma das histórias da EBF que preparamos no ano de 2006. Texto Bíblico: Atos 21 a 28 Texto Áureo: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” II Tm 4.7
O versículo poderá ser escrito em 3 escudos.



Cântico:
Com Cristo no barco tudo vai muito bem
Vai muito bem, vai muito bem
Com Cristo no barco tudo vai muito bem
E passa o temporal,
passa o temporal (2x)
Com Cristo no barco tudo vai muito bem E passa o temporal,



Oficina: barco
Materiais – 1 caixa de leite (barco), 1 garrafa PET, 1 palito de churrasco(mastro do barco), 1 pano branco de 10cm x 15cm(vela do barco), 2 mL (± 20 gotas) de tinta guache(para colorir à água) ou papel crepom azul picado, 200mL de água.



Visuais para a história:
Barco
TNT azul
Cobra de dobradura
Nuvens de chuva
3 sulfites e 1 caneta
Correntes ou algemas de papel

Resumo da história bíblica de Paulo:
Paulo, apóstolo dos gentios, de perseguidor, passou a ser perseguido depois que teve um emocionante encontro com Jesus no caminho de Damasco. Daquele dia em diante o Senhor Jesus sempre esteve com Paulo e ele fez muitas viagens pelo mundo levando a Palavra de Deus, ensinando, curando e profetizando sempre em Nome de Jesus.
Paulo ganhou novos amigos, os cristãos. Ganhou também inimigos poderosos. Os judeus que antes eram seus amigos e que juntos perseguiam os cristãos, agora procuravam fazer de tudo para matar Paulo.
Um dia Paulo foi para Jerusalém. Porém, em Jerusalém era o lugar onde Paulo mais corria risco de ser preso. Lá os judeus eram muitos e fortes. Mas Paulo com coragem e confiança em Deus não temeu ir para lá. Paulo queria estar com os irmãos de Jerusalém e também pregar o evangelho.
Não demorou muito e os judeus ficaram sabendo que Paulo estava em Jerusalém! Viram Paulo no Templo cultuando. Então os líderes judeus fizeram um grande tumulto entre o povo, agarraram Paulo, gritavam acusando Paulo severamente, arrastaram-no para fora do Templo e queriam matá-lo naquele mesmo instante! Toda a cidade de Jerusalém ficou amotinada. Estava formado um grande tumulto.
Até que finalmente chegaram os oficiais romanos e tiraram, com muita dificuldade, Paulo do meio da multidão furiosa. Enquanto os oficiais carregavam Paulo para a fortaleza, a multidão ao redor gritava veementemente: Mata-o! Mata-o! O comandante vendo a fúria do povo achou prudente tirar Paulo de Jerusalém. Durante a noite o comandante montou uma escolta e levou Paulo para Cesaréia, onde ficou preso por dois anos.
Paulo depois deste tempo apela para César e é enviado à Roma. A viagem para Roma seria inesquecível, pois, como sempre o Senhor Jesus estaria com Paulo.
O navio navegava pelo Mar Mediterrâneo... Os ventos sopravam ao contrário e foram alcançados por uma terrível tempestade! Ficaram por muitos dias sem ver o sol e nem as estrelas. A tripulação lançou para fora toda a carga do navio e eles não tinham mais esperança de viver. Porém, Paulo estava no navio e ele confiava em Deus, sabia que deveria se fortalecer no Senhor e na força do Seu Poder (Ef 6.10). Na décima quarta noite pressentiram então que havia terra próxima. Paulo se levantou e mandou que todos os homens comessem porque as suas vidas dependeriam disto. Paulo e todos comeram pão. Os que sabiam nadar se jogaram no mar, os outros se agarraram em pedaços do navio e chegaram em terra firme. Chegaram na ilha de Malta.
Foram recebidos pelos habitantes da ilha com generosidade. Fizeram para eles uma fogueira, pois chovia e fazia frio e os naufragos precisavam se aquecer. Paulo juntou um monte de gravetos e quando os colocava no fogo uma víbora prendeu-se a sua mão e o picou. Todos ficaram olhando e esperando que ele caísse no chão, começasse a inchar e morresse! Mas,... não aconteceu nada! Paulo continuou vivo, orou pelos doentes da ilha e depois de três meses, passou por ali outro navio e eles continuaram a viagem para Roma. Ah! Lá em Roma Paulo também falou sobre Jesus.

sábado, 6 de junho de 2009

UM POUCO DA HISTÓRIA DO LIVRO SEM PALAVRAS (LSP)


“O Livro Sem Palavras, foi apresentado pela primeira vez em 1866 por Charles Spurgeon e tinha apenas três páginas nas cores, preto, vermelho e branco. Ao pregar no Tabernáculo Metropolitano, em Londres, seu sermão tinha o título “O Livro Sem Palavras”. O Pr. Spurgeon em seu sermão fala sobre um antigo ministro que reuniu três páginas e as folheava freqüentemente para lembrar-se dos seus pecados, do sangue de Cristo derramado por ele e da purificação “mais branca do que a neve” concedida para ele.

Não se sabe quando a página dourada foi acrescentada, mas ela trouxe outra dimensão ao livro, retratando o amor de Deus e as glórias do Seu lar celestial. Nove anos mais tarde, D. L. Moody usou o livro colorido em um culto para crianças onde cerca de 12 mil pessoas estavam presentes para ouvir sua mensagem sobre um “livro de quatro páginas - nas cores preto, vermelho, branco e dourado”.

- Conte uma história para nós, Fanny. Conta outra – as crianças suplicavam. Fanny Crosby, a conhecida compositora de hinos, tirava muitas vezes da bolsa um pequeno Livro Sem Palavras e contava às crianças, a quem tanto amava, a história do Salvador.

Em 1895, o livro foi levado à Índia por Amy Carmichael. Amy e sua auxiliar fizeram uma bandeira de cetim nas cores dourada, preta, vermelha e branca, e a puseram em seu carro puxado por bois, indo de aldeia em aldeia divulgando o Evangelho no sul da Índia. – Um texto muito útil para um sermão de improviso – comentou Amy. Nos grupos menores ela usava o pequeno livro em vez da bandeira. Ruth Overholtzer, esposa do fundador da Child Evangelism Fellowship (Aliança Pró Evangelização das Crianças), descobriu o livro em 1924. Ela o encontrou na livraria do Dr Harry A. Ironside, que se tornou o pastor da Moody Memorial Church em Chicago. O Livro Sem Palavras estava sendo publicado em Londres, na época.

Quando a CEF começou a imprimir o livrinho, 15 anos mais tarde, eles adicionaram a última cor, verde, para representar o crescimento na nova vida. Publicaram também um folheto ensinando como usar o livro, e incluindo versículos bíblicos para cada página.

Nos anos que se seguiram, o Livro Sem Palavras foi levado por missionários a mais de 120 países do mundo, guiando milhares de meninos e meninas a Cristo. Por meio da linguagem universal da cor, Deus tem usado este meio eficaz para comunicar sua maravilhosa Mensagem da Salvação, talvez mais do que qualquer outro instrumento da História. Você pode também participar deste rico legado dos que têm sido fiéis na evangelização de crianças [...].”

From Then Till Now de Ruth Overholtzer, Child Evangelism Fellowship Press. (1990, apud Bíblia de Recursos para o Ministério com Crianças, 2003, p.20).

DEDOCHES DE ANIMAIS

Esses dedoches são gracinha!
Com eles podemos ilustrar muitas histórias, fazer teatrinhos e a garotada vai amar confeccioná-los também... depois é só brincar!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

A HISTÓRIA DE TRÊS CASAS...

A HISTÓRIA DE DUAS CASAS

fonte figura: http://www.historiasbiblicas.advir.com/

Escrevi este roteiro para a contação da história bíblica da Parábola de Jesus “As Duas Casas” que esta registrada em Lucas 6.47-49; Mateus 7.24-27. Espero que gostem e que seja útil.

Sugestão de visuais
Materiais: 2 cartolinas, lápis de cor, tesoura, 1 caixa com pedras, 1 caixa com areia, 1 chapa de RX inutilizada.
Como fazer: desenhe e pinte duas casas, uma em cada cartolina. Encaixe uma casa na caixa com areia e a outra na caixa com pedra. Use a chapa de RX para fazer o som de trovões.

AS DUAS CASAS

Introdução: quando Jesus viveu entre os homens, Ele sempre contava histórias, também conhecidas como parábolas, para ilustrar os seus ensinamentos. Certo dia, Jesus contou a história de dois homens. O homem prudente e o homem insensato.

Desenvolvimento: o homem prudente um dia resolveu construir uma casa. Então ele cavou bem fundo e fez o alicerce na rocha. Um outro homem, que era insensato também construiu a sua casa, mas não cavou fundo, ele a fez sobre a areia.

Clímax: então um dia veio uma chuva e ventos muito fortes, as águas subiram e os rios transbordaram. A casa do homem insensato não resistiu e desabou, ficou em ruínas e se perdeu.
A casa do homem prudente, que havia sido construída sobre a rocha, quando o vento soprou com força sobre sua casa, quando a chuva caiu, quando os rios encheram e transbordaram a casa continuou firme.

Conclusão: embora tudo fosse contra a casa do homem prudente, ela foi salva, pois estava firme sobre a rocha. Mas a casa do imprudente caiu destruída, pois, não tinha firmeza nenhuma e desabou.

Moral da História: Jesus explicou às pessoas que todo aquele que ouve as Suas palavras e as pratica pode ser comparado com este homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha.

Aplicação ao Plano da Salvação: No Salmo 18, verso 2, Davi servo do Senhor declara: “O Senhor é a minha rocha,... o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo em quem me refugio; o meu escudo, a força da minha salvação,...” então quer dizer que, para estarmos firmes e sermos salvos precisamos estar firmados na Rocha que é Jesus, o nosso Salvador. Se Jesus é a rocha da nossa salvação, se somente Ele pode nos purificar de nossos pecados, então devemos dizer como Davi: “lava-me, e ficarei mais alvo que a neve”. Salmo 51.7 Pois, quando recebemos o Senhor Jesus como Salvador e confessamos os nossos pecados, Jesus nos perdoa. Podemos estar seguros do Seu amor por nós. Quando Jesus limpa os nossos pecados o nosso coração fica mais alvo do que a neve. Ouça as palavras de Jesus, deixe-O morar em seu coração e faça aquilo que agrada Jesus.


Se você gostou, ficou com dúvidas, tem alguma sugestão para compartilhar, ... é só clicar aqui (comentário) e escrever o seu comentário. Beijos, Iclea.

SENTA QUE LÁ VEM UMA FÁBULA...

Fantoche da galinha, feito de EVA ou feltro, e mais em


A MOEDA DA GALINHA

Esta fábula eu ouviu no CD da Elaine de Jesus, e a transcrevi com algumas adaptações para ser contada. Com mais um pouquinho de criatividade dá para fazer lindos visuais. A garotada se diverte com esta fábula.

CERTO DIA HOUVE UMA GRANDE CONFUSÃO NA FLORESTA. A GALINHA TODA REVOLTADA DISSE QUE ALGUÉM TINHA ROUBADO SUA MOEDA! IMAGINEM SÓ, HAVIA UM LADRÃO NA FLORETA? TODA A BICHARADA FOI CHAMADA PARA UMA REUNIÃO... ai ai ai... isso vai dá o que fala...
TODA A BICHARADA ESTAVA AFLITA...
GALINHA – cócócócomo aconteceu? Quem pegou a minha moeda?
PATO – queim queim queim pegou a moeda?
BICHOS – onde está a moeda? Alguém viu a moeda?
CACHORRO – qual o cheiro da moeda? AU! AU! AU! Posso farejá-la!
COBRA – pisssssiu... sssiiiiilêncccccciio deixxxxxxxa a galinha falaaaaaaa.
LEÃO – graaau ... que bagunça é essa...?

A GALINHA FICOU MUITO CHATEADA PORQUE ALGUÉM PEGOU SUA MOEDA. UMA GRANDE CONFUSÃO ESTAVA COMEÇANDO.
GALINHA – eu acho que foi o pato!
PATO – Queam? Queam? Queam? Eu? Eu não!
GALINHA – se não foi o pato então foi a cócócó cobra!!!
COBRA – quem eu? Eu não!!! Imagiiiiiiina só faltava essssaaaaa!!!
GALINHA – há então só cócópode ter sido o sapo!
SAPO – ueb... ueb.. ueb... eu? Eu? Eu não!
GALINHA – já sei! Então só cócópopode ter ido o leão!
LEÃO – eu? Eu não! Graaaaau.....

GALINHA – foi o sapo? Ou foi o leão? Foi a cobra? Ou será que foi a preguiça, eu não to vendo ela aqui!!!

E A CONFUSÃO ERA ENORME, A GALINHA ESTAVA ACUSANDO TODO MUNDO... TODA A BICHARADA PREOCUPADA E PROCURANDO A MOEDA DA DONA GALINHA... QUANDO DE REPENTE... iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

GALINHA – achei a minha moeda... caiu aqui... debaixo da minha cama... rsrsrs...

TODA A BICHARADADEBAIXO DA CAMA DONA GALINHA!!!
CACHORRO – au au au acusando todo mundo.
GATA – minhau miaudmiro muito da senhora Dona Galinha.
COBRA – q coissssssaaaa feia!

A GALINHA FALOU QUE FOI O PATO! QUE FOI A COBRA! QUE FOI O SAPO E ATÉ O LEÃO ELA ACUSOU! MAS, NO FINAL... NÃO FOI NINGUÉM!

E ASSIM ACABOU A CONFUSÃO NA FORESTA, PORQUE A GALINHA ACHOU SUA MOEDA.

O PROBLEMA, MESMO, FOI QUE ELA SAIU ACUSANDO TODO MUNDO.

MAS, A GALINHA APRENDEU A LIÇÃO QUE NÃO SE PODE SAIR POR AI ACUSANDO TODO MUNDO E QUE FALAR MENTIRA É UMA COISA MUITO FEIA!

DEUS NÃO GOSTA DISSO E NEM AS PESSOAS. DEVEMOS SEMPRE FALAR E FAZER O QUE É BOM.

"Seja, ... a tua palavra: sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno." Mt 5.37
;
Ocorreu um erro neste gadget

Você já falou com Deus hoje?

Você já falou com Deus hoje?