Total de visualizações de página

SEGUIDORES. PARTICIPE TAMBÉM! EM BREVE VOU VISITAR O SEU BLOG. DEUS TE ABENÇOE!

Pesquise aqui

sábado, 19 de abril de 2014

PÁSCOA - O SONHO DAS TRÊS ÁRVORES


Hoje vamos usar nossa imaginação. Vocês gostam de imaginar coisas? (mostre a capa) Pois bem, vamos falar como se as três árvores de nossa estória pudessem falar, conversar e sentir, como as pessoas fazem. Vocês já sabem que uma árvore não pode raciocinar, mas vamos imaginar...
Vamos imaginar uma linda floresta, longe daqui, na terra da Palestina, a terra onde Jesus nasceu.

Na floresta haviam árvores grandes e pequenas, velhas e novas. Todas elas gostavam da sua vida na floresta. Era muito agradável sentir a brisa suave acariciando seus ramos. Elas se deliciavam com o calor do sol e tinham prazer em ouvir os cantos dos passarinhos que faziam ninhos entre as suas folhas. Às vezes, as árvores mais novas conversavam a respeito do futuro. Elas não sabiam quanto tempo ficariam na floresta, pois costumavam chegar lenhadores com machados e serras elétricas para derrubá-las, falando em usá-las na fabricação de móveis, casas ou outros utensílios feitos de madeira. Bem no meio da floresta, cresciam três arvorezinhas, juntos a árvore mãe. -Quando eu for grande – uma delas confidenciou às outras duas -, gostaria de ser um berço de um nenê. Lembrando-se daquela senhora que passou por ali com um nenezinho nos braços! Em minha opinião, uma criancinha, é a coisa mais linda deste mundo. Se eu pudesse escolher, queria ser o berço de um príncipe, num palácio real!-Para você isso pode ser muito bom – comentou a segunda arvorezinha – Mas quanto a mim, quero um destino mais importante. Eu gostaria de ser um navio grande e forte, para carregar coisas de grande valor, como ouro, prata ou pedras preciosas. A terceira árvore ficou quieta, pensativa. Finalmente perguntaram-lhe: -E você? Você não sonha com o futuro? O que quer ser? -Não sonho com qualquer outra vida, senão a de árvore! – disse ela – Pra mim, prefiro ficar aqui na floresta. Assim sempre ficarei apontando para cima, para Deus. O que poderia ser melhor? A árvore mãe olhou para ela com carinho. -Você tem toda a razão! – disse ela – Não tem nada melhor do que ficar indicando para Deus! Passaram-se os anos, e as arvorezinhas cresceram, e se tornaram altas e bonitas.

Finalmente, um dia chegaram dois homens com machados e serras. Eles cortaram a primeira árvore e levaram embora. “Será que meu sonho vai se realizar!” a arvore pensou consigo mesma. “Já esperei tanto tempo! Quem sabe, logo serei um berço de um príncipe!” A árvore foi levada para longe, pra uma cidadezinha chamada Belém. Mas ela não foi e aplanada e trabalhada. Coitada da árvore! Ela estava de coração partido, decepcionada! -Não gosto deste lugar feio e escuro! – ela se queixou – E aqui, ninguém me vê! - A não ser os animais que nela comiam. -Espere, vou lhe mostrar uma coisa!... E, numa noite estrelada, aconteceu uma coisa maravilhosa. (leia Lucas 2.16 ou conte em ouças palavras o nascimento de Jesus)

No silencio da noite, o próprio filho de Deus, o Reis dos reis foi deitado nessa manjedoura. E a árvore que era agora uma manjedoura, ouviu o que os pastores contaram sobre a visita dos anjos, anunciando o seu nascimento (daquela criança – Jesus). Ela vibrava de alegria! -Que maravilha! – ela sussurrou – Faço parte de um milagre! Quando pensei em ser um berço, nunca sonhei em carregar um nenê como ELE! O plano de Deus foi muito melhor do que o meu plano! Passaram-se mais alguns anos.

Então, um dia os homens voltaram para a floresta. A segunda árvore foi cortada. “Serei transformado num navio”- pensou ela – “Já esperei muito, mas agora talvez aconteçam as grandes coisas que sonhei!” Ela foi levada para perto do mar, mas não foi usada para a construção de um navio. Em vez disso, tornou-se um simples barquinho de pesca, que chegou a pertencer a um rude pescador chamado Simão Pedro. Um dia descansando junto à praia do Mar da Galiléia, o barco refletia em sua sorte, enquanto Pedro lavava suas redes. -Pensar que minha vida deu nisto! – a árvore que agora era barco, se lastimou. – Um simples barco de pesca e mal cheiroso! E meu dono, Pedro, nem parece ser bom pescador. Veja como trabalhou a noite toda sem apanhar nada! Mas Deus que ama a arvorezinha disse:
Espere, vou lhe mostrar uma coisa! E aconteceu. Uma grande multidão foi se reunindo, ali na praia.


Dela saiu uma pessoa chamada Jesus, que entrou no barquinho e, assentando-se, ensinou ao povo. Falou coisas tão sábias, belas e claras, que o povo O ouvia embevecido (atento). Quando o Senhor Jesus terminou de falar, Ele mandou que Pedro se afastasse da praia, com o barquinho e lançasse a rede nas águas profundas. Quando Pedro obedeceu, aconteceu um milagre! As redes encheram-se de peixes até quase romperem-se. E o barquinho tremia (balançava), não tanto por causa do grande peso dos peixes, mas de alegria e admiração. -Que maravilha! – a arvore que era barco sussurrou – Nunca imaginei que poderia levar uma carga como esta! Faço parte de um milagre! Sim, o plano de Deus foi superior ao meu plano! O plano de Deus é sempre o melhor, você não acha? Será que você, também, sonha com o futuro? Pretende ser médico, enfermeira, policial, advogado, professor? Escute: Deus ama você muito mais do que as arvores. Hoje Ele diz: - Espere. Dê-me a sua vida, e Eu farei uma coisa maravilhosa com ela. Você descobrira que o meu plano é muito bom, Deus tem um plano perfeito para a sua vida.

 Lá na floreta da Palestina, a terceira árvore ainda estava ao lado da velha árvore mãe. Mas, então, um dia, os homens voltaram novamente à floresta.
E desta vez a terceira árvore foi cortada, aquela que queria permanecer na floresta, apontando para Deus. -Que pena! Por que eu não posso ficar aqui? – ela suspirou triste – Mas, foi cortada pela serra cruel, e seus ramos foram-lhe tirados. Rasparam-lhe a casca, e ela foi levada para longe, a cidade chamada Jerusalém. Lá um dia, a arvore foi serrada de novo, e uma parte foi pregada sobre a outra, formando uma cruz! -Que tristeza! – a árvore sussurrou – Pretendem crucificar alguém. Eu vou ser usada para tal fim! Deve ser um criminoso. Oh, não! Não quero fazer parte no castigo de alguém! Afinal, eu sempre queria apontar Deus para as pessoas. Mas Deus, que ama as arvorezinhas, disse: -Espere. Vou lhe mostrar uma coisa ... E um dia, fora de Jerusalém, juntou-se uma outra multidão. Em seu meio estava o Senhor Jesus, carregando a árvore que agora era a cruz. A cruz era pesada demais para Ele, cansado e enfraquecido como estava. Quando Ele caiu sob o peso, a cruz foi carregada por um homem chamado Simão o cirineu. E quando chegou a um lugar chamado Calvário, Jesus foi pendurado na cruz para morrer.

A cruz tremia sob o peso da agonia e vergonha. Mas, aconteceu um outro milagre. O céu se escureceu como se fosse noite. E quando Jesus entregou o seu espírito ao Pai, houve um grande terremoto. No templo, o véu do santuário se rasgou no meio, para mostrar que o caminho estava aberto agora para qualquer um que quisesse entrar na presença de Deus. Um oficial romano, que comandava os soldados, exclamou impressionado. “Verdadeiramente, esse era o Filho de Deus!” (Mateus 27.50-54) A árvore que agora era uma cruz, parecia ouvir o eco das palavras do próprio Jesus: “... e eu quando for levantado na terra atrairei todos a mim mesmo!” (João 12.32) E a árvore começou a entender que apenas ficar na floresta apontando para cima, nunca poderia levar as pessoas para Deus. Era preciso que o próprio filho de Deus morresse numa cruz, derramando o seu sangue, para que elas pudessem ser perdoadas dos pecados e ir, um dia, para o Céu. -Nunca pensei em apontar para Deus desta maneira! Sussurrou a arvore – Mas o plano de Deus foi melhor do que o meu plano! Ela falou a verdade. Apesar de milhares de arvores permanecerem na floresta, nenhuma delas podia levar ninguém a Deus. Somente Jesus pode fazer isso, através do seu sacrifício. Pois ali, o Filho de Deus morreu em nosso lugar e três dias depois, Ele ressuscitou dos mortos. Hoje, Ele está vivo, e pode nos salvar. O primeiro passo, no grande plano de Deus, é que você receba seu Filho, Jesus Cristo, como seu único salvador. Se você ainda não fez isto, venha me procurar (diga onde) logo no fim de nossa aula. 
Quero mostrar-lhe, na palavra de Deus, como você poderá ter a salvação. Muito de vocês já tem Jesus como seu salvador. Não querem entregar-lhe, agora mesmo, a sua vida e permitir que Ele a Dirija? Diga para Ele agora, enquanto curvamos a nossa cabeça e fechamos nossos olhos. –“Senhor, toma a minha vida e faze com ela o que tu quiseres. Sei que tu me amas e que o Teu plano para mim será sempre o melhor!”.

Essa alegoria pode ser encontrada e comprada no site da apec (http://apecbr.com/home/).
Também existe uma cantata no site do mig e meg (http://www.migmeg.com.br/)

LAMBI - UMA HISTÓRIA DE LIBERDADE



LAMBI – Uma história de liberdade!
Baseado em Êxodo 12

História extraída da revista argentina “El puentecito”. Ilustrada no Photoshop pela Pra Gabriela Pache de Fiúza.



Figura 1
Josué era um menino Israelita, morava no Egito com a sua família como escravo. Todo Israel esperava a libertação vinda do Senhor.
Ele sentava na calçada esperando o pai voltar para brincar, mas quando via ele chegar cansado sabia que de novo não brincaria. Mas ele se consolava com o seu cordeirinho Lambi, seu grande amigo. Josué só tinha Lambi.



Figura 2
Chegando à noite o pai disse para a família
-Fiquei sabendo que Moisés vai falar com Faraó, ele vai pedir para que Faraó deixe Israel ir adorar a Deus.
Toda a família recebeu a noticia com medo, pois sabiam que Faraó era um senhor terrível e dificilmente os libertaria.


Figura 3
Depois dessa conversa, enquanto Josué ajudava sua mãe com a louça, começou a pensar o que esperaria por ele daí alguns anos. Josué era o primogênito da família, ou seja, o primeiro filho, e logo deveria trabalhar duro como escravo. Isso o entristecia muito.


Figura 4
Passados uns dias Moisés convocou os homens Israelitas, e disse que essa seria a noite da libertação, e que todas as famílias de Israel deveriam seguir as instruções que Deus dera.
Os homens ficaram muito felizes e se dispuseram obedecer a Palavra de Deus.




Figura 5
De noite, Josué viu seu pai com um certo nervosismo, e ainda por cima de faca na mão saindo de casa. Josué decidiu segui-lo. E para sua surpresa, viu que seu pai estava indo direto para o curral pegar Lambi, seu cordeirinho.
Josué deu um grito de desespero.
– Não pai!!! esse é o meu cordeirinho!!! ele é meu amigo!!! O que o Senhor vai fazer com ele?
-Meu filho, esse é o melhor cordeirinho que nós temos para ser oferecido em sacrifício; ele não tem nenhum defeito. Deve ser este. Sinto muito meu filho.




Figura 6
O pai não duvidou nem por um momento, e matou Lambi.
-Por quê papai? Por que o senhor fez isso? – perguntava Josué para seu pai.
-Meu filho, o cordeiro morreu para salvar a sua vida e a nossa.
Josué não estava entendendo nada do que seu pai falava.




Figura 7
Então o pai pegou o sangue do cordeiro e passou no umbral da porta da casa. E falou:
-A morte passará esta noite pelas casas do Egito, mas não entrará onde estiver passado o sangue do cordeiro.



Figura 8
Cada pai das famílias Israelitas fez a mesma coisa naquela noite. E todos comeram a PÁSCOA, o cordeirinho sacrificado. Todos estavam vestidos e preparados para sair de viagem.
Enquanto isso, a família orava ao Senhor; e Josué pensava em todos os fatos ocorridos.
-Lambi, você foi morto por mim? Será que seu sangue vai me salvar de verdade da morte e me trazer liberdade?



Figura 9
Mas, a meia noite, do jeito que Deus tinha falado pelo seu servo Moisés, a morte passou por sobre todos os primogênitos do Egito. Pessoas e animais. Em cada casa podia-se ouvir lamentos e prantos.
-Porque aconteceu isso com a gente? Porque os nossos deuses não impediram esta mortandade? – era o clamor dos egípcios.



Figura 10
Mas entre o povo de Israel tudo era muito diferente. Deus tinha guardado em paz e dado muita alegria a todos. O sangue do cordeiro tinha salvado os primogênitos. Todos estavam muito agradecidos a Deus.


Figura 11
Desesperado Faraó chamou Moisés e tomou por fim a grande decisão de deixar o povo de Israel ir e servir ao Senhor Deus.
-Vão de uma vez! Agora! Vão e sirvam ao seu Deus! –disse Faraó muito irado.



Figura 12
Todos os egípcios fizeram a mesma coisa, eles entregaram seus bens, roupas, gado, ouro, jóias, tecidos para os Israelitas. Os Egípcios ficaram com muito temor e deram a liberdade a todos os escravos. Agora eles eram livres, e já estavam prontinhos para sair. Tudo tinha acontecido como Deus tinha falado ao seu servo Moisés.


Figura 13
Josué e todo o povo entenderam que graças à morte do cordeiro, eles tinham sido salvos e livres da opressão e do jugo de Faraó. Essa foi a primeira páscoa.
-Querido Lambi, nunca esquecerei que a sua morte me deu a vida!! –falou agradecido Josué.


Aplicação:
Esta é a historia da primeira páscoa. Os israelitas tiveram que derramar o sangue do cordeiro nas ombreiras e vergas das portas. Naquela noite, o primogênito de cada casa seria morto onde não houvesse sangue.
Vejamos João 1:29 Quem foi chamado de Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo?
Sim, Jesus! O sangue de Cristo foi derramado na cruz pelos nossos pecados. Nós éramos escravos do pecado destinados à morte. Mas, o Senhor Jesus Cristo morreu por todos, e derramou o Seu sangue por todos os pecadores, para que sejamos livres da morte, assim como os israelitas.
Porque Jesus é chamado de “Jesus a nossa Páscoa”? Porque assim como Lambi, ele morreu para que possamos viver!
Que poder tem o sangue de Jesus? 1 João 1:7
Assim como os Israelitas, para sermos salvos devemos crer que o sangue de Jesus, nosso cordeiro, é capaz de nos limpar de toda condenação e pecado. E depois de termos fé, depois de termos crido, devemos confessá-lo como nosso Senhor.
Certamente éramos escravos do pecado, mas fomos libertos da escravidão para vivermos uma nova vida. Cristo é quem nos liberta da escravidão do pecado.
A páscoa então era aquela ceia dos Israelitas antes da libertação. Jesus depois instituiu a nova páscoa. Nós celebramos a ceia que relembra Cristo, o nosso cordeiro pascal. Jesus é a nossa páscoa. E o mais maravilhoso é que Jesus não permaneceu morto, mas ao terceiro dia ressuscitou dentre os mortos! Ele está vivo e quer morar no seu coração.
E você amiguinho, quer receber Jesus, o cordeiro, no seu coração? Você quer entregar a sua vida a Jesus e passar em sua vida o Seu sangue que purifica e limpa de todo pecado? Você quer se alegrar nesta páscoa recebendo a liberdade e a salvação da morte?

LEMBRANCINHAS E ATIVIDADES FÁCEIS PARA A PÁSCOA

Podemos colocar doces e dizer:
Quando Jesus entregou a Sua vida por nós na cruz, a nossa Páscoa que era amarga, se tornou doce.

Podemos colocar um suco de uva e um pão e explicar:
Jesus se entregou por inteiro por nós, o pão representa o Seu corpo que foi entregue por nós e o suco de uva o Seu sangue derramado por nós.

Cestinha de EVA






Pacotinho de TNT:




Saquinho com pipoca!


Atividades para o Culto Infantil e EBD:


He Lives! Ele Vive!






Na cruz de Cristo a nossa salvação!




;
Ocorreu um erro neste gadget

Você já falou com Deus hoje?

Você já falou com Deus hoje?